top of page
  • Foto do escritorJORNAL PANORAMA SC

Maestrelli é homenageado em Timbó

Urussanguense recebe honraria pela sua grande contribuição à cultura timboense

Da esquerda p/ direita: Jorge R. Ferreira, presidente da Fundação de Cultura e Turismo de Timbó, Sérgio Maestrelli e o prefeito de Timbó Jorge Augusto Krüger. Foto divulgação


O engenheiro agrônomo colunista do Jornal Panorama - Sérgio Maestrelli, foi quem recebeu uma bonita homenagem do município de Timbó/SC.

Depois de 25 anos ausente, ele voltou para lá para receber Diploma e Medalha de Mérito Lindof Bell, na categoria “Personalidade Cultural do Município”.

Maestrelli foi homenageado em reconhecimento pela sua atuação cultural, intelectual e social para o desenvolvimento da cultura timboense, quando lá residiu por 19 anos.

Em seu discurso de agradecimento afirmou que recebia a homenagem com alegria e humildade, gratidão e responsabilidade.

Lindolf Bell, que dá nome à homenagem, é hoje o poeta timboense mais citado na poesia catarinense. Líder do Movimento Nacional “Catequese Poética”, autor de vários livros e fundador da 1ª Galeria de Arte de SC, a Galeria Açu-Açu em Blumenau na década de 1970.

O município de Timbó, situado a 25 km de Blumenau, e com 46.000 habitantes é conhecido como “A Pérola do Vale”, uma das capitais do Chope do Vale do Itajaí, Capital Nacional do Ciclo Turismo e eleita a melhor cidade catarinense para se viver pelo 3º ano consecutivo pela “Band Cidades Excelentes”. A “Festa do Imigrante” realizada no mês de outubro faz com que duas etnias se abracem em festa e alegria: a alemã e a italiana. Trabalho e Festa são as colunas daquele município do Verde Vale do Itajaí.


O trabalho de Maestrelli

Sérgio Roberto Maestrelli, natural de Urussanga, é especialista em Gestão Social em Educação Rural e Profissionalização de Agricultores; mestre em Agroecossistemas e Agricultura Familiar; engenheiro agrônomo, ex-extensionista rural da Epagri, escritor, historiador, colunista, integrante da Academia de Letras de Urussanga, do Rotary Club, do Conselho Municipal de Cultura, da Diretoria da Fundação Marconi e de outras associações de cunho cultural.

Por 19 anos, residiu em Timbó e, além do serviço de Extensão Rural junto aos agricultores, atuou na Rádio Cultura, foi colunista do Jornal do Médio Vale e participou de outras associações culturais e religiosas. Em 1989, fez parte da Comissão dos Festejos alusivos aos 120 Anos de Timbó.

Em parceria com o então Departamento de Cultura da Prefeitura, desenvolveu duas publicações sobre o município de Timbó: “A Extensão Rural na História de Timbó” em 1988, e “Fatos e Imagens do Meio Rural” em 1992.

Aposentou-se em atuação como extensionista da Epagri, na área da Gerência Regional de Criciúma; e atualmente é um atuante cidadão a trabalhar pela preservação das tradições e costumes herdados dos colonizadores de Urussanga, bem como pelo desenvolvimento social e econômico da cidade.


Do discurso

Em seu pronunciamento durante a cerimônia de entrega das honrarias, Maestrelli lembrou de sua trajetória em Timbó desde o momento em que foi recepcionado na cidade.

“Cheguei no dia 9 de agosto de 1981 aqui na Pérola do Vale e registro os três primeiros timboenses com quem mantivemos contato: Moacyr Moser, funcionário da Cooperativa CAMVU; Zelmira Cristofolini Ritzke, a Zelma, a secretária do Escritório Local da Acaresc; e o secretário da prefeitura Horácio Cristofolini, a quem, em nome da empresa, apresentei as credenciais. O primeiro agricultor com quem mantivemos contato foi Nobert Zimath, recentemente falecido. Citando este amigo, nos vem à mente todos os agricultores timboenses, razão de ser do nosso trabalho e merecedores do nosso mais profundo respeito e admiração. Incialmente hospedado no Nonno Hotel, de Leopoldo Kurth Filho, fiquei impressionado com as centenas de bicicletas nas ruas e registrei: Aqui é o meu lugar, e Timbó ainda vai fazer história com as bicicletas. E fez. Hoje é a Capital Nacional do Cicloturismo. Pessoas pedalando e descobrindo Timbó, a melhor cidade catarinense para se viver pelo 3º ano” afirmou Maestrelli, acrescentando que o número 9 estava bem marcado na sua história em Timbó.

“Chegamos num dia 9, moramos na Rua Augusto Maas, 119, cujo telefone tinha como final 1119 e saímos no dia 19/09/1999. Voltamos hoje, dia 19 de novembro. Nove, o número da finalização das coisas.” disse o homenageado.

Após relembrar momentos vividos em Timbó e dos amigos que lá conquistou, Maestrelli agradeceu a homenagem e afirmou que acompanhava os acontecimentos da vida dos timboenses em sua cidade natal, onde reside atualmente.

Encerrando, ele disse: “no final desta noite, repetirei um gesto que já fiz no passado duas vezes: parar na Rua Blumenau, na divisa Timbó/Indaial, descer do carro, olhar para trás e dizer “Ah, Timbó! Como eu me sinto em casa”. Obrigado! Grazie! Dankeschön!”


Da redação

Nesta página, a Família Panorama presta sua homenagem ao grande colaborador Sérgio Maestrelli.

Que seu destaque em nível estadual sirva de estímulo para outros cidadãos e de orgulho para toda nossa gente. Parabéns, Maestrelli!


Comments

Couldn’t Load Comments
It looks like there was a technical problem. Try reconnecting or refreshing the page.
bottom of page