Lacre de esgotos na Estação - ou PMU faz ou paga multa superior a R$ 3 milhões

Equipes da Vigilância Sanitária iniciaram trabalho na manhã desta terça-feira

Integrantes das equipes que procederão os lacres nas saídas de esgotos de residências no Bairro da Estação, em Urussanga, iniciaram seu trabalho na manhã desta terça-feira 29/03.

Eles obedecerão ordem dada pela Justiça da comarca e que deve ser cumprida pela administração municipal, sob pena de sofrer os rigores da lei.

Segundo informações, são 14 residências cujos proprietários não manifestaram o desejo de cumprirem as medidas e regularizarem a situação, que seria a colocação de fossas sépticas.

Formam a frente de trabalho três equipes da Vigilância Sanitária, as quais serão auxiliadas por duas viaturas da Polícia Militar.


Da história

Esta ação que vem gerando descontentamento na população atingida pela medida, não é um fato novo.

Segundo informações obtidas por Panorama SC, a história iniciou ainda em 2015, com o Ministério Público exigindo que medidas fossem tomadas com o objetivo de promover a regularização dos esgotos domésticos que estavam sendo lançados diretos no Rio Caeté.


Infelizmente, nada foi feito e o tempo se esgotou na Justiça, onde o Ministério Público ajuizou uma multa que atualmente ultrapassa os R$ 3 milhões.

Segundo a Secretária de Administração Andresa Baldessar, não foi uma situação em que a Prefeitura pudesse escolher o que fazer. A ação na Justiça está no ponto de cobrança de multa por uma ordem judicial que não foi cumprida.

“Nós estamos procedendo o lacre para cumprir a lei e esperar que o Juiz da Comarca entenda que nossa parte foi feita e nos livre desta multa de mais de R$ 3 milhões que, com certeza, consumirá recursos que poderiam ser utilizados em muitas obras na cidade” explicou Andresa.