top of page
  • Foto do escritorJORNAL PANORAMA SC

Irmãs que saíram de Urussanga há mais de 60 anos visitam a cidade na Festa do Vinho


Ieda, Ida e Rosana


Visitar o Parque Municipal durante a Festa do Vinho e conhecer os pontos turísticos do centro da cidade de Urussanga foi a programação dos participantes de uma excursão de Laguna/SC, na quinta-feira da semana passada.

Animados, os integrantes do passeio posaram para a reportagem de Panorama SC na ponte ao lado da Prefeitura Municipal demonstrando muita alegria de estarem na terra que cultua a tradição herdada dos imigrantes italianos.

Mas, entre estas pessoas, duas fizeram questão de informar sobre as fortes ligações que têm com a cidade.

São as irmãs Ida Francisco Turíbio e Ieda Euclides Francisco.

Emocionada, Dona Ida, que está com 85 anos de idade, disse que estava feliz em retornar a sua cidade natal.

“Eu sai daqui aos 16 anos de idade. Já faz 60 anos! Tenho muitas lembranças boas daqui, das pessoas que conheci naquela época. Trabalhei na telefônica que tinha ali na Praça, perto do Seu Laurinho De Bonna. Tempo bom, que revivo ao visitar Urussanga” afirmou Dona Ida.

Já sua irmã Ieda informou que gosta tanto de Urussanga que foi abraçar o pé de chorão que fica próximo à sede da PMU, porque ele lembrava seu tempo de infância em Urussanga.

“Eu saí de Urussanga aos sete anos de idade. Toda nossa família foi morar em Laguna porque meu pai foi trabalhar em um navio da família Freitas.

A minha ligação sentimental com esta cidade é muito forte, pois nasci no dia da padroeira - em 8 de dezembro de 1946, e fui batizada na igreja Nossa Sra. da Conceição.

Hoje, para mim, com 77 anos de idade, é um privilégio vir aqui com este pessoal de Laguna e poder rever a cidade onde nasci trazendo a minha filha Rosana” afirmou Dona Ieda.


Já o guia turístico Wilian Marques, que foi um dos responsáveis por conduzir os visitantes, disse que é sempre gratificante participar de momentos felizes das pessoas.

“Nós buscamos proporcionar momentos inesquecíveis para os visitantes, valorizando o que Urussanga tem a oferecer. Diria que somos o elo entre os que vem de fora e todo o receptivo existente na Benedetta. Fazemos tudo com amor e também ficamos emocionados ao saber que estamos participando de momentos especiais iguais aos das irmãs Ida e Ieda”, afirmou Wilian.

Comments


bottom of page