Imigrante - a cachaça engarrafada em Urussanga que ganhou prêmio internacional


Há 18 anos, Celi Sorato e José N. Sorato iniciaram uma sociedade para construção de um alambique com o objetivo de fabricar aguardente e cachaça na comunidade de Ribeirão Dareia, divisa entre os municípios de Urussanga e Pedras Grandes.

No ano de 2017 o jovem Ricardo Sorato resolveu acreditar no projeto de seu pai e de seu tio e acabou pedindo demissão do emprego que tinha em uma metalúrgica da região.

As novas idéias, somadas à experiência dos sócios fundadores, fez com que o empreendimento recebesse mais investimentos e também o reforço da irmã de Ricardo - Letícia Sorato Ghizoni.

A preocupação em conquistar espaço no mercado, fez com que a família Sorato buscasse apoio, se filiando à Coofasul em Urussanga, onde é engarrafada toda a produção da Cachaça Imigrante, e também à Associação Catarinense de Cachaça que, atualmente, congrega cerca de 20 produtores.

“Através da Associação Catarinense, nós tivemos oportunidade de fazer intercâmbios e conhecer a realidade de cada produtor, transferindo experiências que facilitam a vida de todos. Sou grato a esta associação que nos deu grande visibilidade no mercado nacional e também no exterior” afirmou Ricardo à reportagem de Panorama na tarde da última terça-feira 10/11, um dia após a sua família ter recebido a feliz notícia de que a cachaça tipo Prata, produzida pelos Sorato, havia ganho uma medalha de Prata no concurso Internacional de Cachaças de Bruxelas, na Bélgica.

“ Essa é a segunda vez que participamos desse concurso em Bruxelas. Nós fizemos a inscrição, enviamos amostras da nossa cachaça Prata que é envelhecida em barris de bálsamos, uma madeira brasileira e, no dia 9/11, recebemos o comunicado que fomos classificados. Isso é gratificante e nos dá estímulo para continuar investindo”, pontuou Ricardo ao afimar que a produção anual em torno de 35 mil litros deverá triplicar com investimentos superiores a R$ 200 mil.

“Esse ano estamos fazendo um investimento de mais de R$ 200 mil na aquisição de equipamentos que devem chegar agora na entresafra, entre os meses de dezembro e março, quando faremos uma reforma e instalaremos esses equipamentos que irá triplicar a produção de cachaça” explicou o jovem empreendedor.

A Cachaça Imigrante tem opções para vários gostos, sendo envelhecidas em barris de carvalho francês, carvalho americano, bálsamo, além de aguardente produzida com mel e melado. A apresentação é digna de padrão internacional e as opções vão desde as miniaturas para presente até os de 900 ml.

A esta Família que venceu pela dedicação e trabalho, a homenagem do Jornal Panorama.