top of page
  • Foto do escritorJORNAL PANORAMA SC

Içara registra o maior crescimento no movimento econômico da Amrec em 2023

Capital do Mel foi a que mais se destacou no Índice de Participação dos Municípios (IPM) durante o ano


A bola da vez. Assim pode ser definida Içara, a cidade que mais cresce no Sul de Santa Catarina. A Capital do Mel encerrou 2023 registrando o maior crescimento no movimento econômico da Associação dos Municípios da Região Carbonífera (Amrec), cuja pujança é atestada pelo Índice de Participação dos Municípios (IPM). Os dados foram divulgados pela Secretaria de Estado da Fazenda.

O indicador é importante, já que determina a parcela do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) que será destinada a cada cidade. Em relação ao ano anterior, o crescimento de Içara foi de 5,07%, o que irá gerar mais de R$ 2,5 milhões de ICMS para a Administração Municipal. Considerando os 12 municípios da Amrec, outros cinco também registraram crescimento.

“Içara subiu R$ 700 milhões de valor adicionado. Isso quer dizer que em um ano, Içara gerou uma riqueza maior do que o valor de toda a economia de Siderópolis, por exemplo. Se somarmos as economias de Treviso e Balneário Rincão, não chegamos ao que Içara cresceu em 2023”, observa o coordenador do movimento econômico da Amrec, Ailson Piva.

Para a prefeita Dalvania Cardoso, a notícia vem em boa hora. “Estamos colhendo os resultados do nosso esforço e trabalho. Isso significa mais receita para investirmos em melhorias para a cidade”, pontua. “Mas não podemos esquecer que o maior mérito de todo esse crescimento é dos empresários, que arregaçam as mangas para empreenderem aqui. O poder público muito ajuda quando não atrapalha. Queremos que Içara seja cada vez mais atrativa para novos negócios, aproveitando todas as nossas potencialidades”, completa.

O IPM é calculado anualmente pela Secretaria de Estado da Fazenda, que considera como principal critério o movimento econômico, também conhecido como valor adicionado – para compartilhar com os municípios o ICMS recolhido pelo Estado, o principal imposto estadual. Assim, a repartição do ICMS tem a seguinte proporção: 75% considera o valor adicionado, outros 10% levam em conta o ICMS Educacional e os demais 15% são divididos igualmente entre as 295 cidades catarinenses.


bottom of page