top of page

H1N1: campanha de vacinação foi prorrogada até 30 de junho



A imunização contra o H1N1 além de diminuir os riscos de síndromes gripais que incluem, também, complicações respiratórias, contribui para redução de complicações, “de internações e, consequentemente, da mortalidade decorrente das infecções pelo vírus da gripe”.afirma a enfermeira da Vigilância Epidemiológica de Urussanga- Marília Ferreira Marcineiro,

O alerta feito pela Enfermeira está relacionado ao novo coronavírus. “Embora essa vacina não proteja contra o novo coronavirus pretende-se, com a imunização, proteger de forma antecipada a população contra a influenza além de minimizar o impacto sobre os serviços de saúde auxiliando, assim, na exclusão de diagnóstico em virtude da nova doença”, destaca Marília.

A campanha de vacinação foi prorrogada até 30 de junho para todos os grupos prioritários.

O Município tem como meta imunizar 90% da população que está inclusa nos grupos prioritários, mas de acordo com Marília, os índices ainda não foram atingidos nos grupos de criança de 6 meses a 5 anos 11 meses e 29 dias, gestantes e puérperas.

“É importante enfatizar a necessidade da vacina da influenza nas crianças até para evitar que a criança adoeça e que precise ir até uma unidade de saúde ou até um hospital, principalmente neste período de pandemia”, explica a Enfermeira.

Desde o início da campanha contra Influenza, no dia 23 de março, Urussanga realizou 5.205 imunizações. Em Santa Catarina, até o momento, foram registrados 3.568 casos de hospitalizações por síndrome gripal aguda grave. Destes, 37 foram confirmados para influenza.

bottom of page