Governo nomeia 24 militares para atuação em escolas cívico-militares da rede estadual


Foto: Mauricio Vieira / Secom A governadora Daniela Reinehr e o secretário de Estado da Educação, Luiz Fernando Vampiro, assinaram nesta quinta-feira, 6, os termos de posse de 24 profissionais militares que atuarão em três Escolas Cívico-Militares da rede estadual de Santa Catarina. Eles foram designados para trabalhar na EEB Cel. Pedro Christiano Feddersen, em Blumenau, na EEB Professora Irene Stonoga, em Chapecó, e na EEB Prof. Jaldyr Bhering Faustino da Silva, em São Miguel do Oeste. A nomeação ocorreu em uma solenidade na sede da Secretaria de Estado da Educação, na Capital.

“É um contentamento muito grande. Estamos iniciando esse processo em que usamos as forças de segurança do Estado. Esse modelo das escolas cívico-militares têm sido um sucesso. Tenho certeza que é um programa que vai crescer muito, pela demanda que nós vemos e pela aceitação das comunidades”, destacou a governadora.

Os militares nomeados nesta quinta-feira incluem quatro oficiais, que deverão prestar apoio na gestão escolar para que os profissionais da Educação dediquem-se às atividades didáticas e pedagógicas. Os demais atuarão como monitores para orientar alunos sobre disciplina, desenvolver ações de educação cívica, auxiliar na conservação da estrutura das escolas e oferecer apoio socioemocional em situações de bullying.

“Esse é um programa do MEC, mas que nós vamos nos tornar referência de aplicação. A comunidade tem aceitado muito bem. Tanto a Polícia Militar quanto o Corpo de Bombeiros são altamente bem avaliados e tê-los no apoio é um acréscimo à educação de Santa Catarina”, destaca o secretário Vampiro.

Os profissionais empossados fazem parte do Corpo Temporário de Inativos da Segurança Pública (CTISP), sendo 14 da Polícia Militar e 10 do Corpo de Bombeiros Militar. A EEB Cel. Pedro Christiano Feddersen terá atuação de nove militares, enquanto oito militares foram designados para trabalhar na EEB Professora Irene Stonoga e sete na EEB Prof. Jaldyr Bhering Faustino da Silva.

Para o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Dionei Tonet, o modelo cívico-militar tem grandes contribuições a dar para o Estado.

“A Polícia Militar é parceira desse processo. Colocamos nossos profissionais à disposição, com o intuito de que tenhamos uma sociedade mais justa e fraterna e que possamos construir uma segurança social”, declarou Tonet.