GAECO apura fraude com ocultação de bens para não pagar condenações por improbidade

Suspeitos teriam se valido de outras pessoas para ocultar bens e valores e se eximirem dos pagamentos decorrentes de condenações em ações de improbidade administrativa.



Na manhã desta quarta-feira (01/12), o Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (GAECO) deflagrou a operação batizada como "Bonifrates", realizando o cumprimento de mandados de busca e apreensão nas cidades de Santa Cecília e Rio do Sul. A Promotoria de Justiça da Comarca de Santa Cecília e o GAECO constataram fortes indícios da participação dos investigados nos delitos de fraude à execução, associação criminosa, falsidade ideológica, lavagem ou ocultação de bens e crime contra a ordem tributária. O nome da operação deve-se ao fato de que os investigados teriam se valido de outras pessoas para ocultar bens e valores e se eximirem dos cumprimentos de sentença decorrentes de condenações em ações de improbidade administrativa, que, atualmente, com as devidas atualizações, ultrapassam R$ 1 milhão. Saliente-se que parte dos cumprimentos das sentenças que condenaram o principal investigado por atos de improbidade administrativa já tramitam há mais de 10 anos, inclusive, em diversas delas com o reconhecimento de fraude à execução em 22 dos 26 cumprimentos de sentença existentes na Comarca. Ao todo, foram expedidos pelo Poder Judiciário (Vara Única da Comarca de Santa Cecília) sete mandados de busca e apreensão que estão sendo cumpridos por Policiais do GAECO, com o apoio do Instituto Geral de Perícias (IGP), da Polícia Militar Ambiental e da Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola (CIDASC).