Epagri viabiliza em tempo recorde implantação de projetos contra estiagem


Foto: Divulgação/Epagri

Em menos de 60 dias, a Epagri foi capaz de mobilizar, elaborar e encaminhar para aprovação 1.699 projetos do programa Prosolo e Água SC. Assim, viabilizou a aplicação, nos próximos meses, dos R$ 60 milhões destinados pelo Governo do Estado para agricultores implementarem soluções de longo prazo contra estiagens. Os técnicos da Epagri, que encerraram a ação em meados de setembro, superaram em mais de dois meses o prazo estabelecido para execução, que era final de novembro.

“Quando a Assembleia Legislativa definiu repassar a verba, tivemos uma grande preocupação de muitas lideranças, no sentido de que a Epagri não daria conta de executar esse trabalho no tempo que se fazia necessário. Por várias vezes, afirmamos que podiam confiar que, até o final de novembro, estaríamos finalizando a execução destes projetos. Com menos de 50 dias úteis, todo o recurso destinado está comprometido, com todos os projetos elaborados”, descreveu Edilene Steinwandter, presidente da Epagri.

Em julho o governador Carlos Moisés sancionou duas leis de apoio à resiliência hídrica no meio rural catarinense (18.136 e 18.137). A legislação aprovada na Assembleia Legislativa autoriza a abertura de crédito especial em favor da Secretaria para investimento nas ações previstas.

A legislação determina a aplicação de R$ 300 milhões em três anos, com parte deste total a ser usado em 2021. Coube à Epagri o desafio de escrever os projetos, para que os agricultores pudessem planejar os investimentos e acessar o valor destinado ainda neste ano, sob risco de ele retornar aos cofres do Estado. “Isso é uma alegria para nós, porque mostra que a política pública veio ao encontro das necessidades dos agricultores e a Epagri teve a capacidade de responder de forma rápida e muito profissional”, relatou a presidente.

Com os R$ 60 milhões viabilizados para este ano pelos projetos escritos pela Epagri, serão construídos, em todo o estado, 925 sistemas de captação, armazenamento e distribuição de água; 598 cisternas; 86 sistemas de tratamento e distribuição de água; 37 sistemas de irrigação; 26 práticas conservacionistas; 14 poços e 13 proteções de fontes.


Distribuição

A distribuição geográfica dos projetos acompanha a vulnerabilidade do estado em relação à estiagem. A Gerência Regional da Epagri em São Miguel do Oeste foi a que mais aprovou projetos: 374. Em seguida aparecem as Gerências Regionais de Palmitos, com 363, Concórdia (290) e Chapecó, com 277 projetos. As Gerências Regionais de Xanxerê (175) e Campos Novos (101) também figuram entre os campeões de projetos. Ainda aprovaram propostas as Gerências Regionais da Epagri em Videira, Canoinhas, Criciúma, Rio do Sul, Tubarão e Lages.

Darlan Rodrigo Marchesi, gerente estadual de extensão da Epagri, explica que, para dar conta de tamanha demanda, a Epagri preparou seus técnicos e parceiros. Foram envolvidas prefeituras, as federações dos agricultores familiares e produtores rurais, Ocesc e sistema cooperativo, Defesa Civil dos municípios, fóruns de secretários municipais de agricultura e outras organizações e lideranças municipais. A estas instituições, foram apresentados o programa e as possibilidades de investimentos, para que colaborassem na decisão de quais as melhores soluções para cada município e também na mobilização dos possíveis beneficiários.

Outra etapa importante foi a capacitação dos extensionistas da Epagri e de técnicos de entidades parceiras. “Apesar do curto intervalo de tempo, foram organizados quatro cursos na modalidade remota para facilitar o entendimento de que tipo de práticas poderiam ser feitas, baseado nos pilares do armazenamento de água, conservação do solo e água, cisternas e proteção de nascentes”, relembrou Darlan. Os cursos seguem disponíveis no canal de capacitações da Epagri.