Empresários querem a reabertura do comércio em Santa Catarina

Sem poder vender e receber prestações, comerciantes encerram o mês com dificuldades para pagar aluguel e funcionários


Não foram poucos os comerciantes catarinenses que se utilizaram das redes sociais para desabafar sobre as dificuldades que estão enfrentando em virtude da lei de isolamento social que impõe o fechamento do comércio há quase um mês. Aluguel, duplicatas e funcionários para pagar sem ter vendido absolutamente nada, levou muitas pessoas a questionarem as regras estabelecidas pelo governador Moisés no Estado. Em Criciúma, comerciantes tomaram a praça central para exigir a reabertura e , em Urussanga, comerciantes participaram de um movimento via internet colhendo assinaturas para reabertura do comércio catarinense. Já em Içara, comerciantes e comerciários foram às ruas manifestar. A pressão popular junto a prefeitos e vereadores também foi intensa, levando alguns a se aliarem aos lojistas e desobedecerem a lei estadual, como foi o caso do prefeito de Brusque - Jonas Paegle e o de Xaxim- Lírio Dagort, os quais decretaram fim das medidas restritivas em seus municípios mas tiveram seus decretos suspensos por ação da Justiça. Mesmo com toda a pressão, governador Moises reeditou o decreto, no qual várias atividades ainda fazem parte da lista das restrições ate dia 13/4 e reafirmou que voltar à normalidade nesse momento é precipitado. Se essa atitude de priorizar a vida é a mais correta só o tempo dirá. Por enquanto, teremos mais alguns dias de discussões e até agressões verbais entre internautas nas redes sociais, cada qual se achando dono da verdade sobre a situação que vive o mundo com essa pandemia do coronavírus.