Em Nota, ex-Presidentes do PP criticam postura da Executiva e Vereadores do partido em Urussanga

Movimento liderado por Zen e Baldessar quer convenção em 2021 para eleição de novo Diretório e licenciamento de autoridades investigadas


Depois das desfiliações dos ex-Presidentes do Partido Progressista de Urussanga: Sérgio Luiz Maccari Júnior, Jaderson Roque e o ex-vereador e também candidato a Prefeito pelo partido- Geraldo Fornasa, por descontentamento com posturas tomadas pela atual Executiva municipal, esta semana mais duas importantes lideranças se manifestaram sobre a situação do mundo azul na Benedetta.

Numa Nota de Descontentamento entregue na redação de Panorama SC na quarta-feira 20/10, os ex-Presidentes da sigla Luiz Carlos Zen e José Baldessar tornaram público o sentimento de revolta com o modo como estão se comportando tanto a Executiva quanto os Vereadores da bancada do PP urussanguense.

Alegando que o Diretório está sendo alijado do processo de decisões por falta de reuniões e que “comandantes” e ditos “donos de partido” estão desrespeitando a história de uma sigla partidária construída pelo trabalho e amor de lideranças e militantes durante muitos anos, trazendo para os dias atuais o título de maior partido de Urussanga, Baldessar e Zen pedem que as autoridades investigadas se licenciem do PP e que a convenção do partido seja feita este ano, evitando que o “grupo” que tomou conta do PP prorrogue para 2022 a eleição “para que membros que estão respondendo processos na Justiça, continuem acomodados na instituição”.

O movimento liderado por Zen e Baldessar, segundo a própria nota, visa preservar a imagem do PP na cidade e evitar “ interferências que busquem privilegiar interesses próprios, e acabam por desconsiderar a vontade da maioria do partido”.


Confira a Nota em inteiro teor