top of page
  • Foto do escritorJORNAL PANORAMA SC

Discussões no legislativo podem dificultar coligações


Vereador Luan Francisco Varnier (MDB), ex- presidente da Câmara, afirmou em seu pronunciamento na tribuna esta semana, que teve a sensibilidade de antecipar o repasse de R$ 400 mil para a prefeitura e que este valor era economia da Câmara de Vereadores.

Afirmando que tinha intuito de colaborar, tanto ao repassar o dinheiro quanto ao sugerir a diminuição de salário dos Secretários municipais do prefeito Jair Nandi (PSD), Luan disse que o Legislativo não é um puxadinho da prefeitura e que continuará cobrando as demandas da população da mesma forma que cobrava do prefeito hoje em prisão domiciliar.

 “Economiza, tem que cortar na carne para que a população seja bem atendida. Porque se não tem dinheiro para isso, para aquilo, por que paga salários como fazia o prefeito anterior que está preso preventivamente? A regra continua sendo a mesma, se não tem dinheiro tem que cortar na carne. Coloca todo mundo com salário de diretor e economiza R$ 3 mil cada um” afirmou Luan em seu pronunciamento.


Posteriormente, quando o vereador Erotides Borges Filho - Tidinho (União Brasil) fazia uso da tribuna, parabenizou o vereador Luan pela iniciativa do repasse a PMU mas disse que a economia feita pelo legislativo poderia ter sido bem maior não fosse a "excursão" de vereadores feita a Itália, na qual foi gasto cerca de R$ 25 mil de diária por vereador.


Em aparte à fala de Tidinho, Luan disse que a viagem a Itália não foi passeio, afirmou que o presidente do partido União Brasil de Urussanga usou do seu prestígio para dar emprego a seu familiar na Câmara e que Tidinho só era vereador agora porque deu "um golpe".


Para quem está de fora, estas discussões no legislativo, além de estarem cansando os ouvidos de todos e gastando a paciência da população, certamente repercutirão em níveis partidários e poderão dificultar coligações que até estavam já em andamento para o pleito de outubro.


 


Comments


bottom of page