top of page
  • Foto do escritorJORNAL PANORAMA SC

Dia de vacinação será realizado nos municípios da AMREC

Foto Divulgação

Os prefeitos da Associação dos Municípios da Região Carbonífera (AMREC) aprovaram, em assembleia geral nesta quinta-feira (15/06), um dia D de vacinação, que será realizado no sábado, dia 25 de junho. A ideia é que a mobilização se estenda no domingo, dia 26.

A argumentação do prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro, que propôs a ação durante a reunião dos executivos, é que com as “Fake News” espelhadas com relação a vacina contra a COVID-19, gerou um grande temor contra todas as vacinas, o que vem ocasionando na diminuição do número de crianças vacinadas contra todas as doenças. Clésio ainda exemplificou que as UTIs estão lotadas, e que existem crianças internadas que nunca foram vacinadas. A ideia é abrir os postos de saúde e abrir postos de vacinação em locais públicos para atualização das carteiras de vacinação. Conforme a coordenadora da Comissão Intergestores Regional de Saúde (CIR-Carbonífera) e secretária de Saúde de Morro da Fumaça, Marijane Felippe, cada município já faz ações de vacinação e possui suas estratégias. “Vamos nos organizar para intensificar a busca ativa por essas crianças e adultos nos próximos dias”, comentou.


VACINAS QUE CRIANÇAS DEVEM TOMAR


" Ao nascer


Ao nascer, duas vacinas devem ser administradas: a BCG e uma dose da vacina contra hepatite B. A vacina BCG protege contra as formas graves de tuberculose, uma doença causada por uma bactéria (Mycobacterium tuberculosis) que afeta principalmente os pulmões.


→ Dois meses


Com dois meses de idade, é aplicada a primeira dose das vacinas:


Pentavalente: essa vacina garante a proteção contra difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e doenças invasivas causadas por Haemophilus influenzae tipo B;


Esquema vacinal VIP/VOP: a VIP é uma vacina formada por cepas inativas de três tipos de poliovírus. Ela protege a criança contra a poliomielite (paralisia infantil);


Pneumocócica 10 V (conjugada): essa vacina previne doenças causadas por pneumococos, como pneumonia, meningite e otite;


Rotavírus: protege da doença diarreica causada pelo rotavírus.



→ Três meses


Com três meses, o bebê recebe a primeira dose da vacina meningocócica C (conjugada). Essa vacina protege contra a meningite e a meningococcemia, doenças causadas pelo meningococo C.


→ Quatro meses


Aos quatro meses, é aplicada a segunda dose das vacinas pentavalente, VIP, pneumocócica 10 V (conjugada) e rotavírus.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)


→ Cinco meses


O bebê deve receber a segunda dose da vacina meningocócica C (conjugada).


→ Seis meses


Com seis meses, é aplicada a terceira dose das vacinas pentavalente e VIP.


→ Nove meses


A criança deve receber a dose única da vacina contra a febre amarela. Essa doença viral é transmitida pela picada de mosquitos Aedes aegypti em cidades e por mosquitos dos gêneros Haemagogus e Sabethes nas matas.


→ Doze meses


Aos doze meses, é feito o reforço da vacina pneumocócica 10 V (conjugada) e da meningocócica C (conjugada). Também é aplicada a primeira dose da tríplice viral, uma vacina que garante a proteção contra o sarampo, a caxumba e a rubéola.


→ Quinze meses


Com quinze meses, é preciso fazer o primeiro reforço da penta com DTP e o primeiro reforço da VIP com VOP. A DTP é uma vacina inativada que é usada no reforço e protege contra difteria, tétano e coqueluche. A VOP é uma vacina oral contra a poliomielite que atualmente é usada nos reforços. Nessa idade, também é administrada uma dose da vacina contra hepatite A e uma dose da tetraviral. A vacina tetraviral protege contra a varicela (catapora), sarampo, caxumba e rubéola.


→ Quatro anos


Quando a criança completa quatro anos, é feito o segundo reforço com DTP e com VOP.


Após os quatro anos, a criança só será vacinada na adolescência, com vacinas que se iniciam aos dez anos de idade.


Colaboração Ma. Vanessa dos Santos"



Comments


bottom of page