Ex-Vice-Prefeito Cuíca e ex-vereador Bonetti pedem cassação do mandato do prefeito Gustavo




Depois do manifesto ocorrido na noite da terça-feira 14/9, quando cidadãos levaram faixas mostrando contrariedade com a atual situação do município, questionando os vereadores sobre suas posturas diante dos fatos e até com dizeres, " Fora Gustavo", a quarta-feira chega trazendo mais lenha para a fogueira.



Isso porque foi protocolado na Câmara de Vereadores de Urussanga, um pedido de cassação do prefeito afastado Gustavo Cancellier.

Assinado pelo ex-vice-prefeito Luiz Henrique Martins (Cuíca) e pelo ex-vereador Júlio Bonetti, o pedido foi entregue nesta quarta-feira 15/9, acompanhado de justificativa.

Em entrevista à reportagem de Panorama SC, Júlio explicou que este pedido “tem como objetivo formalizar, na Câmara, levar ao conhecimento dos Vereadores urussanguenses, que o Prefeito cometeu um crime de responsabilidade.

Nós deveríamos ter feito anteriormente, mas optamos por aguardar o término da investigação da Polícia Federal, até porque lá corria em segredo de Justiça.

Na Lei Orgânica, no Artigo 47, parágrafo 1º, está bem claro que os vereadores, tendo conhecimento de uma falta grave do Prefeito, eles tem que montar uma Comissão.

Como já se passaram quase quatro meses e nenhum vereador fez este pedido, a gente achou por bem fazer este protocolo. Até porque o Decreto Federal permite que qualquer cidadão eleitor possa dar entrada num pedido de Comissão de Investigação”, concluiu Júlio.

A partir de agora, de acordo com a legislação vigente, o presidente do legislativo - Odivaldo Bonetti deve apresentar o pedido aos demais vereadores até a primeira sessão após receber a denúncia, portanto, na sessão da semana que vem.

Já o ex-vice-prefeito Luiz Henrique Martins (Cuíca), afirmou à reportagem de Panorama SC que a atitude que tomou, fazendo denúncia na Polícia Federal ainda no ano passado e agora protocolando um pedido de cassação na Câmara, estão fortemente ligados ao seu espírito cívico, de agir como um cidadão responsável em buscar fazer o que é melhor para toda a comunidade.

“Eu até fico triste, porque alguns dos familiares dos envolvidos fizeram parte da minha vida no tempo de escola ou nos times de futebol, e eu sei que toda esta publicidade, toda esta divulgação de denúncias acabam machucando os familiares. Mas, meus pais me ensinaram a ser honesto e a cumprir com meus deveres. Então, creio que estou agindo corretamente ao buscar caminhos para que todas estas dúvidas existentes na administração municipal sejam esclarecidas. Agora que já protocolamos o pedido, espero que os vereadores cumpram com seu dever e, com calma e sabedoria, resolvam a situação.

Nós, que juntamos toda a documentação para entregar a denúncia na Polícia Federal, estamos convencidos de que há irregularidades. Aguardemos para ver como se desenrolará a questão” afirmou Cuíca.

Pelo que deu para entender, após a apresentação da denúncia, os vereadores estarão indo contra o Artigo 47, se não constituírem uma Comissão.

Parece que, neste caso, restará apenas a escolha entre uma Comissão Processante - com poderes para cassar ou uma Comissão Investigativa - com poderes apenas investigatórios para posterior encaminhamento do resultado ao Ministério Público.

Porém, se os vereadores urussanguenses quiserem ir de encontro aos anseios de grande parcela da população e até procederem pelo comportamento lógico, uma comissão para simples investigação nem cabe mais no momento. Isto porque, até o Ministério Público já tomou conhecimento dos fatos.