Criciúma, 250 detentos se formam no curso de costura


Projeto para o futuro é que os uniformes escolares da rede

estadual sejam produzidos por detentos


Em uma sessão solene realizada na manhã desta sexta-feira, 250 internos da Penitenciária Sul, de Criciúma, receberam os seus certificados de conclusão do curso de Costura Básica.

A formação foi viabilizada por meio de uma iniciativa da Secretaria de Administração Prisional e Socioeducativa de Santa Catarina, em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI), entidade da FIESC. A capacitação possibilitará que os detentos atuem no Programa SAP Têxtil, em fábricas do ramo que estão sendo implantadas nas unidades do Estado.

“A ideia é que a partir do ano que vem, os detentos de Santa Catarina comecem a confeccionar as peças de uniforme da rede estadual de ensino. O intuito do curso é justamente capacitar esses presos que depois serão os funcionários de um galpão que está sendo construído na Penitenciária para dar espaço a uma linha de produção. Cada região do Estado fará uma peça, o Sul ficou responsável pela camiseta curta do uniforme”, explica a supervisora dos cursos rápidos do SENAI Regional Sul, Izamara Fabre Custódio.

O curso de costura teve a participação de 250 homens privados da liberdade, divididos em dez turmas. “É uma grande satisfação para o Senai podermos contribuir com este importante projeto que oportuniza a essas pessoas privadas de liberdade, o acesso a uma qualificação profissional de qualidade, e que poderá lhes despertar caminhos diferentes e melhores decisões nas escolhas futuras. Os alunos surpreenderam positivamente com a dedicação, postura, rápido aprendizado, e perfeição dos trabalhos produzidos durante o curso. Parabenizamos em especial aos gestores da penitenciária Sul pela exemplar condução desta parceria de sucesso conosco”, frisa a gerente executiva do SENAI Regional Sul e Litoral Sul, Graziela da Silva Branco.

Para Rodicélia Felipe, uma das professoras do curso de costura, o resultado alcançado superou as expectativas. “Com certeza, o maior desafio foi o nosso, porque eles estão lá. Mas, para nós, é um público totalmente diferente, até em função da carga horária, que é muito pequena. Mas fomos nos ajustando. A gente se surpreendeu porque são pessoas que tem têm criatividade, que querem aprender e se reinventar, mas que precisavam dessa oportunidade. Durante todos os dias do curso, eles se empenharam, dedicaram e mostraram que são resilientes e querem mudar”, pontua.


Atenções se voltam ao trabalho

Segundo o diretor da Penitenciária Sul, Wagner Batista Ismael, os cursos ofertados aos detentos influenciam no próprio dia a dia da unidade.

“Eles acabam tendo essa ocupação, então as atenções se voltam para o trabalho. Aqui dentro, reflete até na postura do interno com os agentes e as famílias, porque eles acabam criando uma perspectiva de futuro. É uma oportunidade que muitos nunca tiveram antes. Sabemos que a educação transformar e melhora a vida das pessoas”, comenta.

A formatura contou com a presença de 25 detentos que participaram do curso, representando os demais alunos. Além disso, participaram do ato, a gerente executiva do SENAI Regional Sul e Litoral Sul, Graziela da Silva Branco; Wagner Batista Ismael, diretor da Penitenciária Sul; Rodicélia Felipe, professora do curso, representando, também, Elizânia Gomes Vitório, docente que não pôde estar presente; Juliana Borges Medeiros, gerente Regional Sul da SAP e Josiane Maria Melo da Rosa, gerente Estadual de Educação da SAP.


Novo curso nos próximos dias

Além das dez turmas de costura básica, nos próximos dias, terá início o curso de mecânico de máquina de costura. O projeto também faz parte da iniciativa em produzir uniformes da rede estadual de ensino. No total, 25 detentos serão contemplados com as aulas.


Foto divulgação/GSP