Covid-19 silencia cornetas e tambores em desfiles de Sete de Setembro

Ato simbólico com Orquestra Municipal marcará o Dia da Independência em Urussanga



Ainda que a previsão meteorológica se confirme, não será a chuva que irá atrapalhar o desfile cívico do Dia da Independência do Brasil em Urussanga.

Um ser que não se vê a olhos nus e que já matou mais de 120 mil brasileiros é o causador do silêncio que imperará na próxima segunda-feira 7/09, quando em tempos normais urussanguenses iam às ruas para assistir ao desfile cívico.

Este ano, o coronavírus e as ações governamentais para evitar a propagação da Covid-19, não permitirão que milhões de pés batam com força no solo deste país verde-amarelo, acompanhando o compasso do tambor, e tampouco permitirá que brasileiros se emocionem ao ouvir o toque de cornetas pelas avenidas, evidenciando os 198 anos de independência de Portugal.

A importante data não terá o colorido habitual ou o som do bumbo, da caixa, do trompete, do saxofone, devido à pandemia causada pela COVID-19, mas será marcada por um ato simbólico realizado em frente ao Paço Municipal, às 9h da próxima segunda-feira (7).

Segundo a secretária de Educação do Município- Janea Possamai, a solenidade contará com a participação da Orquestra Municipal que executará o Hino Nacional Brasileiro durante o hasteamento à Bandeira. “Não vamos levar às ruas da cidade o tradicional desfile cívico-militar. O cancelamento, como todos já sabem, é uma medida de prevenção sanitária para evitar aglomerações, devido ao risco de contaminação pelo novo coronavírus, mas, seguindo todas as orientações dos órgãos de saúde, realizaremos um ato simbólico em alu são ao Dia da Independência do Brasil” destacou Janea Possamai acrescentando que durante a semana da Pátria os alunos das escolas municipais, estaduais e privada fizeram homenagens, por meio de mensagens gravadas, transmitidas pela Rádio Marconi.