Corrida do Vinho: grávida de nove meses completou os 5km de prova


Aos 34 anos, ela mostra que a gestação pode e deve ser sinônimo de saúde e bem estar, e com a orientação certa, a prática esportiva é possível.



Muitos acreditam que gravidez e esportes não combinam, e ainda podem fazer mal para o bebê. Mas a verdade é que, com acompanhamento e recomendações médicas, a atividade é saudável e totalmente possível. O exemplo, pôde ser visto no último sábado (09), na 1ª Corrida do Vinho Sunset, em Urussanga, onde uma das atletas participou do percurso de 5km do evento, grávida de nove meses.

Laís Zapelini De Bona Gianisella, completou o trajeto em 51min e 17seg com o bebê Lucca em seu ventre. "A primeira Corrida do Vinho de Urussanga não poderia ficar de fora da nossa história. Grávida, de nove meses, para mostrar que a gestação pode e deve ser sinônimo de saúde e bem estar, e que quando queremos e com a orientação certa, podemos tudo", escreveu a corredora em suas redes sociais.

A atleta de 34 anos, já é mãe de João Vicente, de três anos, e há um ano iniciou suas participações em competições de corrida, tendo inclusive, uma ultramaratona de 55 quilômetros em seu histórico. "Voltei a correr com assessoria em fevereiro de 2021. Nesse meio tempo virei maratonista. Fiz a prova da Uphill e Rio do Rastro Marathon na Serra do Rio do Rastro, além de competir em uma ultramaratona em Gramado, em outubro do ano passado", conta. Segundo ela, o segredo é muita dedicação, disciplina e o acompanhamento de uma assessoria esportiva.

Com a gravidez, o acompanhamento obstétrico também se tornou uma rotina para a atleta, que não abandonou os treinos e mesmo com Lucca podendo nascer a qualquer momento, encarou os 5km de Corrida do Vinho. Claro, que as passadas se tornaram mais lentas e a corrida deu lugar à caminhada. "Confesso que para quem tem o bichinho da corrida no corpo, caminhar não é nada fácil. Para mim, completar essa prova caminhando foi um grande desafio. Foi tão desafiador quanto a ultramaratona do ano passado. A vontade era desenvolver o mesmo passe, a mesma mobilidade. Mas, tudo tem seu tempo, sua hora e sua fase", afirma a futura mamãe, que já sonha com a próxima edição.

"Em breve voltaremos! No próximo ano teremos o Lucca não na barriga, mas na linha de chegada junto com o irmãozinho João Vicente e o papai esperando por mim, tenho certeza! Obrigada por tanto carinho que recebemos", destaca Laís.


Sobre esporte e gravidez

Segundo o médico obstetra, Adelino Rodrigo Kohatsu Padilha, as mulheres devem ser encorajadas a praticar atividade físicas. “É importante para a saúde do futuro filho desde a fase no interior do útero até os primeiros anos de vida da criança. Todo o organismo da mãe ganha com a realização regular de exercícios físicos e é justamente isso que reflete no bebê", explica.

Conforme a medicina, mexer o corpo contribui com o controle da pressão arterial e do peso, o que reduz riscos de doenças como diabetes gestacional, por exemplo. "O reforço na musculatura alivia dores nas costas, queixa comum entre as grávidas. Aquele cansaço pós-treino também faz bem, pois colabora para desestressar e dormir melhor. Portanto, exercitar-se promove muita disposição ao longo dos nove meses, inclusive quando a barriga está crescida", afirma o obstetra.

Mas o alerta, é que antes de qualquer coisa, a gestante deve buscar orientação médica, já que cada gravidez e grávida tem suas particularidades. "De maneira geral, as gestantes estão liberadas para se exercitar, no entanto há restrições que devem ser avaliadas caso a caso", recomenda Padilha. Outro ponto que merece destaque é a hidratação. "É fundamental beber água durante a sessão de exercícios para não correr risco de hipertermia, que é quando o corpo superaquece e consequentemente pode ocorrer a sensação de tontura, além de desidratação", salienta.

Alguns esportes, no entanto, devem ser evitados pelo risco de causar traumas ou contusões. "Modalidades em grupo ou com bola, por exemplo, não são indicados para o período da gravidez, pois há chance da barriga ser atingida", alerta o especialista. Entre as atividades vetadas estão também, mergulho com cilindro, equitação, patinação e até mesmo ciclismo em bicicletas convencionais, pela possibilidade de queda.


Como começar a treinar na gravidez?

O médico obstetra Adelino Rodrigo Kohatsu Padilha, frisa que a melhor receita baseia-se em moderação e regularidade. "Mulheres que não praticam atividade física há mais de um ano podem começar com 15 minutos de exercícios, três vezes por semana, e aumentar gradativamente para meia hora. Com a melhora do condicionamento físico, vale a pena se dedicar aos exercícios uma hora do dia, pelo menos quatro vezes por semana", finaliza.