top of page
  • Foto do escritorJORNAL PANORAMA SC

Cooperativa de Minas Gerais conhece programa catarinense de inovação no campo

Visita técnica ocorreu na Unidade de Lácteos da Aurora Coop

onde foi apresentado o Programa Encadeamento Produtivo


Visita técnica na Unidade Industrial de Lácteos da Aurora Coop, no município de Pinhalzinho (Foto: divulgação)


Com o propósito de conhecer a dinâmica e a estrutura de projetos do Sebrae/SC voltadas ao desenvolvimento das empresas rurais, representantes da Cooperativa Central dos Produtores Rurais (CCPR) da região de Minhas Gerais e Goiás realizaram no mês de abril visita técnica na Unidade Industrial de Lácteos da Aurora Coop, no município de Pinhalzinho, no oeste catarinense. Na oportunidade também foram apresentadas as ações do Programa Encadeamento Produtivo Aurora realizado com empresários rurais vinculados à cooperativa e suas filiadas.

Representaram a CCPR, o gerente de suprimento de leite Leandro Cardoso Sampaio e o gerente de qualidade e integração Cassio Camargos. A CCPR tem 31 cooperativas filiadas, mais de 25 mil cooperados, aproximadamente 700 colaboradores e capta em Minas Gerais e Goiás 2,5 milhões de litros de leite/dia, sendo que 75% de seus cooperados são pequenos produtores. Representaram o Sebrae/SC, a analista de projeto Joselita Regina Tedesco Zanella e a assistente administrativo Diana Piovesan. Pela Aurora Coop, acompanharam a visita técnica o assessor de lácteos Selvino Giesel e a equipe técnica da Unidade Industrial em Pinhalzinho.

O que mais chamou a atenção dos visitantes foi a organização dos projetos em níveis tecnológicos e complementares com essa metodologia desenvolvida pelo Sebrae, que pode ser aplicada em qualquer tamanho de empresa rural. “Ela faz muito sentido na mudança de atitudes dos cooperados tanto na questão da gestão quanto na qualidade do produto. Esses degraus tecnológicos alcançados nessa trajetória de duas décadas do programa foram bem construídos. Não são ideias soltas, mas sim ações que se complementam”, analisou Cassio Camargos. Para Leandro Sampaio, o programa com foco na governança gera constância no desenvolvimento e na profissionalização na cadeia produtiva.

A partir dessa missão técnica os representantes da CCPR levam diversos insights para adaptar e aplicar em sua realidade. “A mensagem que levamos é de criar uma estrutura organizacional para que as lideranças impulsionem ou realmente puxem os produtores para que possam favorecer o desenvolvimento. É uma estratégia para mexer na cultura a partir da gestão participativa, ou seja, apresentando os benefícios que eles terão a partir dessa organização”, afirmou Cassio Camargos. Outras observações foram relacionadas aos desafios em comum nas duas regiões, como a quantidade de variáveis na cadeia do leite, a necessidade de compreender as expectativas de todos os envolvidos no processo produtivo e de ampliar a fidelização do produtor com os lacticínios.

“Infelizmente, muitos produtores não percebem as vantagens de investirem na qualidade, pois pensam que essa avaliação é válida apenas para a agroindústria, sem considerá-la para dentro da porteira. Ele acha que a melhoria na eficiência é para o próximo elo da cadeia produtiva e não para o negócio dele. Precisamos mudar essa visão, o que já ocorreu na avicultura e na suinocultura, em que o empresário rural compreendeu que se não tiver qualidade não terá produto final. Ao produzir o leite com baixo custo, mas com alta qualidade quem ganhará mais é o produtor tanto no preço final quanto no processo produtivo”, relatou Leandro Sampaio.

A parceria Aurora Coop, Sebrae e CCPR proporcionará um estudo para analisar a cadeia do leite com o objetivo de aprimorar o atendimento aos cooperados, melhorar o relacionamento com o produtor e identificar estratégias para mantê-lo na atividade. Leandro Sampaio enalteceu que todo o trabalho desenvolvido pelo Encadeamento Produtivo na organização das empresas rurais, nas escaladas evolutivas de implementação de processos, produtividade e qualidade resultaram em propriedades rurais com condições diferenciadas de acesso a mercados, com sucessão familiar e participação integrada da família na atividade.

“A expectativa com a parceria com o Sebrae é de somar esforços para atingir, principalmente três objetivos: dinheiro no bolso do produtor cooperado; melhoria da qualidade do produto e despertar esse olhar de desenvolvimento para os cooperados que ainda não o fizeram”, antecipou Cassio Camargos. Os representantes da CCPR também destacaram a importância do Sebrae no agronegócio nacional e de que isso é um diferencial para a continuidade da representatividade do setor, difundir sua contribuição para a sociedade e alavancar os empresários rurais que desejam se manter na atividade.


PROGRAMA

O gerente regional do Sebrae/SC no oeste, Udo Martin Trennepohl, enalteceu que o Encadeamento Produtivo Aurora é um programa diferenciado no Brasil, não apenas por organizar a base de integração, mas por resgatar a autoestima do produtor rural. “A primeira contribuição do programa, por meio do curso de Olho na Qualidade – com ações de descarte, organização, limpeza, revitalização das estruturas, higiene e ordem mantida –, é reconquistar o amor-próprio dessas famílias do campo para que a partir disso estejam preparadas como indivíduos para dar um salto de produtor para empresário rural”, explicou.

Nas próximas etapas do programa são abordadas a prática conceitual do curso Gestão da Qualidade Rural, no qual são apresentadas técnicas e ferramentas de gestão para consolidar a visão e a abordagem como empresário rural e não mais como produtor ou proprietário. “Ampliamos a visão dos participantes e no médio prazo trabalhamos a Propriedade Rural Sustentável que proporciona o ponto de vista de uma atividade perene. O programa é um case de sucesso porque leva esse modelo singular de desenvolvimento da cadeia do agro, dentro de uma visão de negócios, mas sem esquecer do lado humano das pessoas que fazem a gestão dessas empresas”, ressaltou.


REFERÊNCIA

“Agradecemos por sermos considerados referência para outras cooperativas. Essa conquista só foi possível graças ao apoio e a parceria com o Sebrae, que tem investido no sistema cooperativista, trazendo novos projetos, provocando mudanças de comportamento e transmitindo conhecimentos aos empresários rurais para que tenham uma atividade sustentável e viável econômica e socialmente”, expõe o assessor de lácteos da Aurora Coop, Selvino Giesel.

Ele reforça que a Cooperativa Central está fazendo o seu papel, mas que alguns resultados só foram obtidos pelo mérito dessa parceria. “Buscamos esse modelo para fortalecer o agronegócio como um todo, por isso trabalhamos o De Olho na Qualidade Rural, Gestão da Qualidade Rural, Times de Excelência, Modelo Genético Aurora (MGA) e Propriedade Rural Sustentável Aurora. A partir dessas várias ações conectadas percebemos a importância dessa proposta e de que o Sebrae/SC realiza um trabalho diferenciado para impulsionar os pequenos negócios rurais”, analisou o assessor de lácteos.


PARCEIROS

O Encadeamento Produtivo Aurora é desenvolvido em Santa Catarina com as parcerias do Sebrae, Senar, Sescoop, Sicoob, Cooperalfa, Itaipu, Auriverde, Coolacer, Copérdia, Caslo, Cooper A1, Coopercampos e Coopervil. No Rio Grande do Sul, conta com a parceria do Sebrae, Sicredi, Cooperalfa, Cooper A1, Coopercampos e Copérdia. No Paraná participam o Sebrae, a Cooperalfa, a Copérdia e a Cocari e, no Mato Grosso do Sul, Sebrae, Cooasgo e Cooperalfa.

Comments


bottom of page