top of page
  • Foto do escritorJORNAL PANORAMA SC

Casos de BO - As policiais da semana

Cocal do Sul vive momentos de violência com os recentes assassinatos


O mês de janeiro trouxe momentos de perplexidade para a população sulcocalense neste ano de 2023.

No dia 10/01, a notícia da morte de Agenor Furlan, 66 anos, assassinado com tiros de arma de fogo no bairro Cristo Rei, ocupou grande espaço na mídia regional e preocupação na população que desejava entender os motivos desta violência.

Na semana passada, 27/01, polícia civil prendeu três suspeitos de envolvimento na morte de Agenor: um é seu enteado que teria liderado as ações, sendo que os outros dois são apontados como atirador e o responsável por atrair a vítima até o local do crime.

O caso ainda nem foi encerrado e já surgiu outro assassinato. Trata-se da morte de Mauro Kufky, também com 66 anos.

Segundo informações, Mauro foi esfaqueado próximo de sua residência (foto), sendo que o suspeito pelo crime foi brevemente identificado, preso em Meleiro e confessou a autoria do crime.

Segundo o delegado da comarca- Márcio Campos Neves, a desavença teria sido por conta de uma mulher, o que já vinha se estendendo desde o ano passado.

Vítima e autor teriam se encontrado recentemente vindo à tona uma nova discussão. O autor alegou que tinha sido ameaçado por Mauro.

Então pegou uma faca e esperou a vítima no local do crime. O corpo da vítima foi encontrado na manhã da terça-feira 31/01 por trabalhadores da coleta de lixo na rua Elias Rosso, no bairro Guanabara, em Cocal do Sul.


OCORRÊNCIAS


Na semana passada, um incêndio atingiu um pátio de veículos da Polícia Militar de Joinville, onde estavam veículos apreendidos pela polícia e pelo D

etran.

Segundo informações do Corpo de Bombeiros não houve feridos e os danos foram apenas materiais. As chamas foram rapidamente controladas.


Professor pedófilo de Cocal do Sul é condenado

O professor que estuprou alunas de uma escola da rede municipal de ensino de Cocal do Sul foi condenado a 34 anos de reclusão neste final do mês de janeiro.

O crime revoltou a comunidade suslcocalense e foi registrado em agosto do ano passado, nas dependências da própria escola municipal, quando o professor abusou sexualmente de duas alunas, uma de oito e outra de nove anos de idade.

Agora ele está no presídio Santa Augusta, onde deve permanecer por bastante tempo para refletir sobre sua má conduta.


Furto de bicicleta em Urussanga

Ciclistas que costumam circular pela SC 108 precisarão se atentar para mais um problema quando estiverem fazendo seus passseios: o risco de serem assaltados.

Esta semana, Polícia Militar atendeu ocorrência sobre furto de bicicleta na referida rodovia, no trecho entre o bairro Bela Vista e o bairro Bel Recanto, próximos ao centro da cidade. Segundo informações, um casal teria abordado o ciclista, sendo que o meliante utilizou uma faca para ameaçar a vítima e furtar sua bicileta.

ATTENTI!


Tempestade causou queda de árvores na SC 108

Forte temporal atingiu Urussanga e região na tarde da última terça-feira 31/01, trouxe trabalho extra para o Corpo de Bombeiros Militar.

Cooporação foi acionada para efetuar corte de árvores que bloqueavam parte da pista da SC 108. Trechos afetados em Urussanga foram nos bairros Rio Maior, Morro da Glória e Nova Itália.

No total, 10 pontos da rodovia estavam vedados. A Defesa Civil também esteve presente no local junto com a Polícia Rodoviária Militar Estadual (PMRV)


NA JUSTIÇA

Um casal homoafetivo que gerou uma criança por meio de inseminação artificial caseira obteve na Justiça o direito de registrá-la oficialmente como filho, com o nome de ambas as mães na certidão.

A decisão é da 1ª Vara Cível da comarca de Canoinhas, onde a ação tramitou em segredo de justiça. As mulheres recorreram a um amigo, que aceitou doar o sêmen sob a condição do anonimato. De posse do material genético, o experimento caseiro mostrou-se exitoso e o casal realizou seu sonho.

Consta na inicial que as mulheres vivem em união estável há 11 anos e realizaram a inseminação caseira - forma de engravidar sem o ato sexual nem a ajuda de médicos – como alternativa ao alto valor cobrado nas clínicas de reprodução assistida, inviável para a realidade financeira das autoras.

O amigo que auxiliou no processo da gravidez, além do anonimato, exigiu também isenção de responsabilidade em relação à criança. Após o nascimento do bebê, no momento de requerer o registro, o casal recebeu a informação da impossibilidade do ato devido à falta de legislação sobre inseminação caseira.

bottom of page