top of page
  • Foto do escritorJORNAL PANORAMA SC

Casarão da Colina - paróquia pede apoio para restaurar edificação histórica

Construída no início da colonização, a edificação existe desde que o 1º Pároco chegou a Urussanga

FOTO ARQUIVO PANORAMA SC

Um movimento para restaurar um patrimônio histórico e cultural de Urussanga iniciou neste mês de novembro, tendo à frente o pároco Daniel Pagani e a vice-presidente da Caritas - Ana Leite De Bona. Em entrevista à reportagem de Panorama SC, Padre Daniel informou que a edificação está bastante danificada com a ação do tempo e necessita de reformas urgentes para que não venha a sofrer um colapso estrutural.

“Nós estamos já procedendo algumas melhorias, mas há muito por fazer e necessitamos da ajuda da comunidade para recuperar este imóvel que é parte da história de Urussanga e dos urussanguenses” explicou o Pároco.

Já Ana, afirmou que resolveu se engajar na causa porque a edificação no alto da colina é um símbolo de vários momentos da história de Urussanga e merece ser preservada.

“Eu acredito que a Casa da Colina não é apenas um casarão antigo. Mas sim um lugar onde memórias de várias gerações estão guardadas e tem uma importância bastante grande para a comunidade, não só católica, mas para todos os urussanguenses” explicou Ana.

Segundo os coordenadores da campanha para arrecadar recursos visando reformar a Casa da Colina, o objetivo é proceder melhorias no local onde funciona o Caritas (obras sociais da Paróquia N. Sra. da Conceição) dividindo o edifício em dois ambientes. Um para assistência social e outro para criar um espaço onde possam ser desenvolvidas atividades culturais com um memorial da própria história da referida edificação e, também, religioso.

“Essas atividades culturais podem ser exposições de artistas da terra, com seus artesanatos ou pinturas, exposições fotográficas, lançamentos de livros e outros eventos deste tipo.

A Casa da Colina é um local apropriado para isso e conta até com espaço para estacionamento. É preciso considerar que as artes, de uma forma ampla, nos levam a evoluir a espiritualidade e a nos aproximarmos do divino, Daquele que nos fez a sua imagem e semelhança, nosso Deus. Em Urussanga, a igreja católica sempre incentivou a manifestação do talento e há registros disso desde as primeiras décadas, inclusive com a criação do Coral Santa Cecília que existe até hoje” explicou o pároco Daniel.

Quem quiser colaborar com material para a reforma ou dinheiro, pode entrar em contato com a coordenadora Ana pelo telefone : (48) 9.9937-2550

“Nós já conseguimos uma parte do que é necessário com a ajuda de empresários urussanguenses, mas ainda não é o suficiente para podermos fazer uma boa reforma e garantir que a Casa da Colina seja um símbolo de solidariedade e cultura em Urussanga” afirmou Ana .


Da história


Com o intuito de oferecer aos filhos dos imigrantes italianos a oportunidade de alfabetização e também um local para atendimento na área da saúde, o primeiro pároco de Urussanga - Padre Luigi Marzano buscou na Itália o apoio para construção da edificação da foto que ilustra esta matéria.

Padre Marzano ficou em Urussanga de 1899 a 1908, quando retornou para a Itália e sua cidade natal - Botigliera D’Asti, sendo substituído em Urussanga por outro padre italiano chamado Luigi, só que de sobrenome Gilli. Ambos vieram da diocese de Turim, IT.

Marzano foi quem trouxe as primeiras freiras para trabalhar na Casa de Saúde e na escola que, posteriormente, receberam locais diferentes por não haver condições de atender doentes em ambiente escolar.

A Casa de Saúde passou a funcionar no Hospital construído na Praça da Bandeira e a escola continuou na Casa da Colina até 1941, com a responsabilidade de seu funcionamento sendo transferido para a municipalidade e posteriormente ao Estado, passando de uma escola subsidiada pela igreja católica para ser a escola Tibúrcio de Freitas que, em 1941, deixou de funcionar neste local para transferir-se para a atual escola Barão do Rio Branco.

A partir deste ano a Casa da Colina abrigou as mais diversas atividades e se prestou para muitas funções.

Foi residência das freiras italianas, delegacia e prisão e, quando Padre Agenor Neves Marques chegou à paróquia, a Casa da Colina recebeu uma grande reforma e tornou-se a Casa da Criança, precursora do Paraíso da Criança, orfanato este que abrigou mais de mil crianças carentes da região durante seu funcionamento.

Foi nesta edificação que nasceu o Museu de Urussanga, a Escola de Apicultura, a Academia de Letras de Urussanga e onde funcionou a Gráfica Paraíso, Escola de Língua Italiana Padre Luigi Marzano, Escola de Taekwondo, Escola de Música, Escola de Dança, além do famoso Clube da Colina onde o conjunto Cardeais da Colina oferecia diversão para a juventude nas décadas de 1960 e 1970.

Esta edificação serviu também como última residência do Padre Agenor Neves Marques, onde o mesmo mantinha uma capela em honra a Mãe Peregrina e todos os dias celebrava missa e atendia fieis.

Realmente, se há alguma edificação em Urussanga que representa toda a evolução e toda a história da comunidade local, certamente é a Casa da Colina.

Panorama SC, como veículo de comunicação e grande incentivador da preservação do patrimônio cultural da cidade, coloca-se à disposição para este grande desafio de impedir que a Casa da Colina literalmente tombe sobre sua própria memória.

Comments


bottom of page