Câmara aprova instauração de Comissão Processante do prefeito Gustavo


A sessão da Câmara de Vereadores de Urussanga na noite desta terça-feira 21/06, deu início a um novo capítulo na história político-administrativa do município.

Isso porque foi aprovado, por 4 votos a 3, o pedido de instauração de Comissão Processante feito pelo ex-vereador Júlio Bonetti, visando investigar denúncias contra o prefeito Gustavo Cancellier.

Esta é a segunda Comissão Processante aprovada contra o prefeito Gustavo. A primeira foi arquivada recentemente sem ter sido julgado o mérito, fato este que possibilitou a abertura desta segunda Comissão para investigar os mesmos fatos.

Segundo informações repassadas ao Panorama o processo terá que ser iniciado do zero, com oitiva de testemunhas e espaço para defesa do acusado, seguindo todos os trâmites necessários.

A diferença é que , nesta segunda Comissão, poderão ser anexados ao processo e também divulgados, documentos do processo em que o prefeito é réu no TRF4 e que até semana passada estavam em sigilo na Justiça.

Votaram a favor da instauração da Comissão Processante os vereadores Fabiano De Bonna (PSDB), Ademir Bonomi e Luan Varnier (MDB) e Jaison Viera (PSD). Os vereadores da bancada do PP- José Carlos José, Odivaldo Bonetti e Thiago Mutini foram contra a instauração da CIP.

Vereador Elson Roberto Ramos (MDB), por ser Presidente da Mesa Diretora não votou e o vereador Erotides Borges Filho(PDT) não votou porque está de licença para tratamento de saúde até a próxima semana e não participou da sessão.

A Comissão, escolhida por sorteio, ficou assim constituída: Presidente - vereador Fabiano De Bonna (PSDB) , Relator- vereador Luan Varnier (MDB) e Membro- vereador Odivaldo Bonetti (PP).

Vale registrar que, também nesta terça-feira 21/06, o Ministério Público de Santa Catarina enviou correspondência para a Câmara de Vereadores sugerindo que fosse adiada a votação da Comissão Processante.

Presidente da Mesa Diretora da Casa - Elson Roberto Ramos colocou a sugestão em votação e os vereadores, por unanimidade, consideraram melhor incluir a votação na Ordem do Dia.

O pedido do Ministério Público se originou das denúncias feitas pela ex-Chefe de Gabinete do prefeito interino Jair Nandi- Andresa Baldessar dos Santos, na manhã desta terça-feira 21/06, de que seu whatsapp havia sido acessado indevidamente e que conversas e áudios estavam sendo utilizados para tentar ameaçar e intimidar vereadores do MDB, objetivando que votassem contra a instauração da referida Comissão. Andressa registrou BO na delegacia da comarca de Urussanga e as investigações estão em andamento.

Segundo informações repassadas pelo delegado Dr. Márcio Campos Neves à reportagem de Panorama na tarde desta terça-feira, várias pessoas já foram ouvidas e as investigações continuam para descobrir quem foi o responsável por violar a privacidade da conta digital da ex-Chefe de Gabinete.

Quanto às conversas colhidas do whatsapp, o conteúdo não foi tornado público, mas pela votação vista na Câmara, parece não ter sido motivo suficiente para intimidar os vereadores.