Benedetta no roteiro de ciclista catarinense que quer ir ao Alasca


Formado em Química pela UFSC, em Educação Física pela UDESC e também em Marketing pela UNIVALI, ele foi proprietário de empresas, casou três vezes, tem duas filhas e dois filhos, foi recordista catarinense em salto em altura, campeão cinco vezes em SC e participou por 10 anos dos Jogos Abertos de Santa Catarina.

Mas o espírito ávido por liberdade e sempre em busca de desafios, levou-o a abandonar tudo para tornar-se um cicloviajante acompanhado pela Margarida, que já percorreu mais de 9.800 quilômetros . Seu objetivo inicial era fazer todo o litoral brasileiro, depois subir pelo interior do Brasil para dirigir-se ao Alasca. Ele conseguiu passar pelas cidades litorâneas do Norte ao Sul e já estava se preparando para seguir a Manaus quando estourou a pandemia da Covid 19 e a viagem foi adiada. Quem é?

Seu nome: Hilario Henrique Bartelt.

Natural de Itajaí, Santa Catarina, 59 anos e com desejo de passar o resto de sua vida pedalando pelas estradas do mundo.

No sábado passado 24/7, ele visitou Urussanga com sua bike denominada Margarida e foi entrevistado pelo jornalista Sérgio Costa. Ao ser questionado o que o levou a abandonar tudo para pedalar por estradas desconhecidas, Hilário disse que sentiu necessidade de ter liberdade para realizar seu sonho de chegar ao Alasca de bicicleta.

“Eu era rico, abandonei tudo. Só preciso de dois pratos de comida por dia para viver e vou trabalhando pelo caminho para conseguir me manter, pois não sou aposentado e não tenho nenhum tipo de renda. Deixei tudo para os filhos.

Eu não me importo. Limpo banheiro, arrumo quarto de hotel, uso meus conhecimentos para prestar serviços e faço o que for necessário para dar continuidade ao meu projeto. Tenho minha bicicleta e minha casa nela, com barraca, rede, remédios, comida, roupas, produtos de higiene e peças de reposição.

Agora, por exemplo, estou indo para Urubici, onde vou trabalhar em uma pousada e ganhar um dinheiro para seguir viagem”, explicou Hilário.

Ao falar sobre seu roteiro e projetos futuros disse que

está a caminho do Uruguai, onde pretende percorrer toda a Cordilheira dos Andes, sair pela Colômbia, Panamá, Costa Rica, El Salvador, México, Estado Unidos, Canadá e, finalmente, ao Alasca.

Depois pretende ir para a Africa, onde percorrerá a maior estrada do mundo que vai do Cabo até a Rússia, pedalando 24 mil km e passando por 17 países.

Depois vai para a Europa, em direção à Asia, para conhecer China, Japão, Coreia do Sul e do Norte e também no Himalaia.

Já ao falar sobre as dificuldades e inseguranças, Hilário disse que sente medo sim. E isso é bom pois o faz tomar cuidado e evitar situações desagradáveis.

Mas afirmou que com quase 10 mil km rodados, nunca sofreu um assalto ou qualquer atitude de violência por parte das pessoas.

“Sempre encontro alguém que me estende a mão quando estou necessitado e a minha casa está sempre comigo na minha companheira Margarida”, afirmou o ex-atleta catarinense que aos 59 anos decidiu iniciar uma disputa consigo para desafiar seus próprios limites.

Que ele tenha sucesso, é o que o Panorama SC deseja.


MOMENTOS DA VIAGEM