top of page
  • Foto do escritorJORNAL PANORAMA SC

Avaliação de vinhos artesanais destaca evolução da região oeste


Com o intuito de avaliar a qualidade dos vinhos produzidos na região oeste catarinense, analisar a evolução técnica da produção e identificar critérios para melhorias foram realizados, na última semana, eventos em cidades polo da região. A iniciativa foi do Sebrae/SC, pelas Consultorias Tecnológicas do Sebraetec, com apoio das Administrações Municipais, Epagri e Núcleo dos Vitivinicultores das Associações Comerciais e Empresariais.

Participaram em Ponte Serrada, produtores do município e também de Concórdia e Xanxerê. A etapa de Quilombo avaliou vinhos de empreendedores rurais locais e de Iraceminha. Em Lajeado Grande participaram produtores do município e de Marema. Em Pinhalzinho foram avaliados vinhos de empreendedores locais e de Modelo, Nova Erechim, Saudades e Serra Alta.

“Esses eventos são bem técnicos para avaliar as características dos vinhos produzidos, analisar se o processo produtivo evoluiu no comparativo com o ano anterior de acompanhamento do Sebrae/SC e coletar informações para orientar os empreendedores rurais do que é necessário ajustar para melhorar a qualidade do produto”, explicou o analista de negócios do Sebrae/SC, Thiago Dalla Rosa.

A avaliação regional seguiu o modelo da nacional realizada pelo Sebrae, com premiação de troféu de ouro, prata e bronze nas categorias de vinho Tinto, Branco e Bordô. Os avaliadores utilizam ficha da Organização Internacional da Uva e do Vinho (OIV), com alguns atributos como visual, olfativa, gustativa e impressão global. Isso porque alguns pontos para melhorias são oriundos de tecnologias analógicas aplicadas, como boas práticas de higiene, sanitização e utilização do metabissulfito.

“O objetivo principal foi obter parâmetros qualitativos das bebidas para mensurarmos a evolução do trabalho realizado. Não basta falarmos que determinado vinho é bom, precisamos de critérios para justificar. Por isso, convidamos seis enólogos para fazer essa análise”, comentou o consultor credenciado ao Sebrae/SC e enólogo Fábio Ricardo Ecco.

De acordo com o pesquisador em enologia da estação da Epagri de Videira, o enólogo, Vinícius Caliari, essa avaliação técnica é importante, principalmente, porque o gosto do consumidor é muito subjetivo e mostra onde o produtor precisa melhorar. “Temos inúmeros tipos de vinhos e diversas aptidões por clientes. Por exemplo, migramos de um vinho de mesa Bordô, Isabel, Niágara para até os mais finos como Cabernet Sauvignon ou Chardonnay. E, ainda temos a intensidade, Seco, Suave e Demi-sec”, justificou.

Caliari ressaltou que acompanha essas avaliações técnicas regionais há alguns anos e tem observado considerável evolução. “Os resultados são qualitativos porque os empreendedores acompanhados pelo Sebraetec têm utilizado tecnologias para aprimorar seus produtos”, expôs. Ele também citou projeto da Epagri com ações estratégicas para melhoria da qualidade do vinho artesanal catarinense. “Entre as medidas sugeridas está a da região produzir sua matéria-prima, que contribuirá para assegurar características próprias do terroir e da qualidade da uva para produção da bebida”, comentou.


EXEMPLO DE PONTE SERRADA

As Consultorias Tecnológicas do Sebraetec iniciaram em Ponte Serrada em 2018, após apresentação do Sebrae/SC à Administração Municipal do potencial local para produção de vinho. “Vislumbramos que poderíamos melhorar a produção a partir do acompanhamento da entidade com pessoas técnicas e capacitadas que instruiriam nossos produtores rurais ou aqueles que têm paixão pela produção do vinho, que é bastante cultural e transmitida entre gerações”, relembrou o prefeito de Ponte Serrada, Alceu Alberto Wrubel (Tibe).

Segundo o gestor municipal, os resultados são perceptíveis. “Estamos muito satisfeitos com esse trabalho realizado. Como é bom ouvir de parceiros, como a Epagri, sobre o fomento do pequeno produtor e a satisfação daqueles que aderiram ao Sebraetec e perceberam a evolução na produtividade e no incremento da renda. A produção do vinho em Ponte Serrada já é uma alternativa de renda para algumas famílias. Já temos duas viniculturas do município que estão produzindo em série e cada vez mais. Além de eventos que estão se consagrando para amostra dos vinhos e dos produtos coloniais”, analisou o prefeito.

SEBRAETEC

O analista de negócios do Sebrae/SC, Thiago Dalla Rosa, enfatizou que o trabalho desenvolvido na cadeia da vitivinicultura na região oeste catarinense é minucioso. “Agora começamos a obter os resultados das consultorias com a regularização e a legalização das vinícolas. São processos complexos, que requerem alto investimento na construção e na aquisição de equipamentos. Pelo Sebraetec também auxiliamos no desenvolvimento da identidade visual, aplicação da marca e ainda a rotulagem e informação nutricional”, explicou.

Atualmente, segundo Thiago, em 2023 na região oeste quatro vinícolas tiveram seus registros aprovados pelo Ministério da Agricultura e Pecuária (MAPA) e agora ingressam em uma nova etapa que é o acesso a mercados, com participação de sessões de negócios, feiras e eventos para apresentação do produto.

bottom of page